segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Investigador da Euro-Atlântica debocha de brasileiro preso na Ucrânia

O investigador da Euro-Atlântica(na Ucrânia) Anton Shekhovtsov, fez hoje uma publicação em seu facebook debochando da situação do brasileiro Rafael Lusvarghi, preso em outubro de 2016, na Ucrânia por lutar junto aos grupos pró-russos no leste da Ucrânia contra o exército ucraniano e milícias financiadas pelo governo ucraniano. 


Anton Shekhovtsov postou ''Parece que as prisões ucranianas podem realmente ter um efeito 'positivo sobre as pessoas', pelo menos no caso de cripto-fascista brasileiro Rafael Lusvarghi.
Na esquerda: Lusvarghi lutando contra ucranianos no lado Ocupado-russo no leste da Ucrânia. Na Direita: Lusvarghi em uma prisão ucraniana.'' 
   


O ex-combatente brasileiro no leste da Ucrânia, Rafael Lusvarghi, foi condenado a treze anos de prisão e confisco de propriedade por ter lutado ao lado das forças rebeldes do leste do país contra o exército ucraniano.
Formalmente, Rafael foi enquadrado nos artigos 258-3 e 260 do código criminal ucraniano; por participação em um grupo ou organização terrorista e participação em atividades ilegais em formação armada, respectivamente. Ele admitiu os crimes, e solicitou que fosse condenado à pena mínima.


domingo, 26 de fevereiro de 2017

Soldado sírio grava vídeo para sua mãe antes de ser capturado por terroristas


 

Soldado sírio grava um comovente vídeo para sua mãe antes de ser capturado por terroristas.
Visualmente ele se encontra em alguma casa ou prédio, qual os terroristas estão invadindo, ele diz que prefere se matar do que se render e ficar nas mãos dos bárbaros terroristas. 

VEJA O VÍDEO:

Palmira à beira de ser liberta novamente

Sítio arqueológico de Palmira

  Contingentes do Exército sírio (SAA) atingiram o sopé norte da estratégica montanha de Jabal Hayyal no sudoeste de Palmira em meio a uma tentativa de retomar a antiga cidade do Estado Islâmico.
Esta montanha é altamente importante porque visa a cidade de Palmira e as seções da rodovia-M20. As forças do governo também capturaram um importante local na região de Bayarat Oriental hoje.
Apoiados pela aviação russa, a 5ª Legião do SAA, a 18ª Divisão de Tanques, as Forças de Escudo Militar, o ramo de Al-Badia e elementos das Forças de Defesa Nacional (NDF) tentarão expulsar os terroristas da montanha nas próximas horas.
Se o SAA garantir completamente a montanha de Jabal Hayyal, as tropas do governo sírio estarão às portas de Palmira.
O ISIS recapturou Palmira em dezembro de 2016, depois que entre 4.000 e 5.000 terroristas invadiram a cidade. No entanto, muitos [terroristas] partiram desta região para defender as áreas em colapso em outras partes do país.
FONTE: Al-Masdar News

sábado, 25 de fevereiro de 2017

Putin assina decreto que valida documentos emitidos pela República Popular de Donetsk

Presidente russo, Vladimir Putin 
O gabinete de imprensa do Kremlin divulgou uma declaração dizendo que Putin assinou um decreto que valida documentos de identidade, certidões de nascimento e placas de matrícula de veículos, entre outros documentos emitidos pela Repúblicas Populares de Donetsk e Lugansk, no leste da Ucrânia, o decreto permite agora que moradores locais possam residir em território russo.
Hoje o soldado pró-russo Zak Novak, falou com a Radio Sputnik sobre esta decisão:
"O reconhecimento de todos os documentos foi uma mensagem para o Ocidente, para a Ucrânia e todos estes que são agora nosso povo e temos todo o direito de defendê-los", disse Novak.
No entanto, o decreto não dá aos cidadãos que vivem em Donetsk, Lugansk e Donbass cidadania russa, eles são apenas dada uma oportunidade legal de atravessar para o território russo, se quiserem e isso dá às pessoas uma oportunidade de encontrar proteção na Rússia.
Em resposta a este decreto, Kiev reagiu com um decreto dizendo que isso é "uma violação do direito internacionais"
"Nós todos sabemos muito bem o que significa e é Poroshenko agora teme que a Rússia está aqui para nos proteger. Isso vai colocar pressão sobre a UE e Poroshenko para parar o bombardeio, parar o terrorismo, parar de matar nossos filhos e implementar o acordo de Minsk que todos vocês assinaram ", disse Novak.
O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse que "o decreto declarou claramente que isso foi feito por questões humanitárias ... até que os acordos de Minsk tenham sido cumpridos. O decreto presidencial validou identificações de residentes de Donbass para que eles pudessem entrar na Rússia legalmente e usar o transporte ferroviário russo e as transportadoras aéreas ", explicou.
Após a erupção da crise na Ucrânia em 2014, mais de um milhão de residentes Donbass pediu o estatuto de refugiado e abrigo temporário na Rússia. De acordo com o Serviço Federal de Migração da Rússia, mais de 1 milhão de pessoas fugiram para a Rússia após a eclosão da guerra civil na Ucrânia, dos quais cerca de 600.000 decidiram estabelecer-se lá permanentemente.
Kiev lançou uma operação militar especial no sudeste da Ucrânia em abril de 2014, depois que os moradores locais se recusaram a reconhecer as novas autoridades ucranianas, que chegaram ao poder como resultado de um golpe.
FONTE: SPUTNIK INTERNATIONAL

Inicia-se os ataques aéreos iraquianos ao ISIS em território sírio


 Segundo foi comunicado pela mídia, o primeiro-ministro iraquiano ordenou iniciar a realização de ataques aéreos contra as posições terroristas na Síria.
 Aviões de guerra iraquianos começaram a atingir bases do Estado Islâmico dentro da Síria em retaliação aos recentes ataques com bomba em Bagdá realizados pelo grupo, disse o primeiro-ministro Haider al-Abadi nesta sexta-feira (24).
"Enviamos a Força Aérea [do Iraque] para efetuar ataques aéreos contra o Estado Islâmico(ISIS) em território sírio", teria dito Adadi, citado pela emissora Alsumaria TV.
De acordo com uma fonte síria da Sputnik, o primeiro ataque aéreo efetuado pelo Iraque foi coordenado com as autoridades oficiais de Damasco.
Abadi comunicou que os ataques contra o Daesh irão ficar sendo realizados em Hosaiba e Albu Kamal, adiantando que os alvos escolhidos estão relacionados com os recentes ataques na capital do Iraque.
"Estamos determinados a perseguir o terrorismo, que pretende matar nossos filhos e cidadãos, onde quer que ele se encontre", acrescentou.

Quartel-general do Estado Islâmico na Síria destruído pelas forças iraquianas:

 Um comunicado separado do Comando de Operações Conjuntas informou que os ataques ocorreram na manhã desta sexta-feira usando caças F16 e que destruíram a sede do Estado Islâmico em Albu Kamal.
"Os ataques visaram o quartel-general do Estado Islâmico usado para preparar carros-bomba em Albu Kamal... depois de a inteligência iraquiana receber pistas de suas fontes dentro da Síria", disse uma autoridade de segurança de alto escalão à Reuters.


sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Rússia exige que Israel prove transferência de armas russas ao Hezbollah


O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, pediu a Tel Aviv que apresente provas de que armas russas entregues à Síria chegaram ao Hezbollah, no Líbano, tal como afirma Israel.
"Temos que olhar para fatos concretos. Quando dizem (os nossos colegas de Israel) que as armas que a Rússia fornece à Síria caem nas mãos do Hezbollah no Líbano e que eles as vão usar para atacar Israel, nós sempre respondemos que somos categoricamente contra a violação das condições de nossos contratos", declarou o ministro do Exterior russo em uma entrevista para o canal NTV.
Ele explicou que esses contratos proíbem que o país destinatário entregue as armas a terceiras partes, por isso Moscou exige provas concretas.
Voltando ao assunto da Síria, Sergei Lavrov frisou que é muito importante que os EUA compreendam com quem e contra quem eles estão lutando.
"[…] Se para o presidente Donald Trump a maior prioridade no palco internacional é a luta contra o terrorismo, então é necessário reconhecer que, por exemplo, na Síria quem luta em primeiro lugar contra o Daesh é o exército sírio com apoio da Força Aeroespacial russa. Mas vários outros destacamentos, inclusive o Hezbollah apoiado pelo Irã, também participam desta luta", explicou Lavrov.
O chanceler russo sublinhou que sabe da deterioração de relações entre EUA e Irã depois da tomada de posse de Donald Trump. Entretanto, Lavrov acredita que ainda é muito cedo excluir o Irã da coalizão antiterrorista.
Se há suspeitas [de que o Irã apoia terroristas], vamos analisa-las, mas assim, sem provas, excluir simplesmente o Irã da coalizão antiterrorista não é pragmático", disse chanceler o russo.
Ele também informou que Irã, Turquia e Rússia acordaram os detalhes do monitoramento do regime de cessar-fogo na Síria, e que em breve vão ser implementados os mecanismos da regulação elaborados no âmbito da colaboração trilateral.
O chanceler russo assinalou que a Rússia está preparando mais um encontro entre o governo sírio e a oposição armada.
Fonte: Sputnik

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Candidata presidencial francesa expressa seu apoio por Assad


A candidata presidencial e nacionalista francesa. Marine Le Pen, expressou seu apoio pró-Assad e pontos de vista pró-cristãos em sua recente visita ao Líbano na segunda-feira.
Chefe do partido Frente Nacional falou que apoiaria o presidente sírio, Bashar Assad e falou "é mais tranquilizador para solução da França" e sublinhou que "erradicar" o ISIS é a melhor maneira de proteger a minoria cristã, não transformando-os em refugiados.
Primeiro-ministro libanês Saad Hariri foi dito desde o pré-candidato presidencial que não há "nenhuma solução viável e inviável" para a guerra síria além de escolher Entre Assad e ISIS.
"Claramente explicado no quadro político da má opção menos é o politicamente realista. Parece que Bashar al Assad é hoje evidente que o mais reconfortante solução para a França ".